TREINOS EM PISTA

Para um corredor começar a treinar em pista, é de fundamental importância uma preparação básica ( a base de sua pirâmide ), sem isto os resultados não serão adequados aos objetivos propostos.
Quando os treinos começam é necessario que o corredor seja informado pelo técnico, pelo personal, pelo orientador, o que será feito, sempre baseado nos treinamentos já feitos positivamente.
O ritmo de treino na pista deve ir aumentando paulatinamente, sempre levando em consideração a “endurance” adquirida pelo atleta no seu período de base, período inicial.
É importante que nesta fase os treinamentos anaeróbios sejam incrementados, com repetições rápidas (sprint)
corridas descontraidas, e fazer ” testes”.
A “endurance” já adquirida é fundamental para que o corredor, possa manter o ritmo necessário para a distância que vai correr nos treinamentos
Muitos corredores cometem o erro de correrem muito forte antes da recuperação total ( que deve ser observada pelos batimentos cardiacos iniciais). Nesta situação alguns atletas podem não se sentir muito cansados e mesmo assim não conseguem acompanhar os outros atletas no treino, criando indagações.
No início do treinamento em pista é importante se observar que o esforço não deve ser máximo, o ritmo do treino vai se aumentando gradualmente a cada dois dias, preferencialmente em distâncias que podem variar de 100,120,150 metros ( totalmente anaeróbias), o treinador nesta fase vai observar a mecânica de corrida em ritmo intenso, orientar o atleta para correções através de educativos de corrida ( eu particularmente sigo a escola alemã), a falta de controle da velocidade pelo treinador conduzirá a problemas durante as competições com alternâncias irregulares no ritmo de corrida competitiva.
Quando a programação de treinamento ( planilha ) está sendo seguida dariamente pelo treinador, este deve sugerir tempos de corridas ( tiros ) dentro das possibilidades de cada corredor. Mais adiante durante as competições como por exemplo uma São Silvestre, uma meia maratona, o atleta deverá correr dentro dos tempos previsto para a competição.
Seguindo estas normas, programei para uma atleta minha na Maratona de New York um tempo estimado em 2h 37′ e 30 segundos, o ritmo da atleta foi perfeito e ela fechou a maratona com apenas 10 segundos fora do previsto.
O grande problema é que muitos orientadores de corredores de fundo, trabalham empiricamente, “chutando” tempos e distâncias… logicamente estou me referindo a pessoas leigas na área.
Em cada ínicio de treinamento o corredor deve antes de começar a correr receber a orientação do treinador do que deverá fazer, e o porque fará. Esforços dessnecessários devem ser evitados.
Por isto algumas vezes me manifesto contra planilhas feitas em revistas especializadas, pois o treinamento deve ser “olho no olho” fazendo um follow-up do atleta, estou me referindo a quem treina com objetivos de resultados, cada corpo humano é um universo, portanto diferente um do outro;
Boas corridas na pista de atletismo.

Carlos Gomes Ventura

Carlos Gomes Ventura é Professor de Educação Física, Administrador de Empresas, com especialização em Atletismo e Administração Esportiva. Atuou como: Gerente de Esportes e Técnico de Atletismo do Esporte Clube Pinheiros, S. Paulo Futebol Clube – SESI. Técnico no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa SP-SP e seleções brasileiras em Campeonatos Mundiais, de Maratona, de Cross, Jogos Ibero Americanos, Campeonatos Sul Americanos, Jogos da Juventude na Itália, Seleção de Cadeirantes em Jogos Pan Americanos . Atualmente Presidente TJD da FPA, membro da Academia Olímpica Brasileira e Academia Olímpica Internacional, do Clube Fior de Roccia – Milão. Premio Abril de Jornalismo. Conselheiro da Corpore – Professor Universitário – Palestrante. Técnico duas vezes campeão da São Silvestre. Com atletas nas Olimpíadas de Seul, Barcelona, Moscou, Los Angeles, Atlanta e Jogos Pan Americanos. Autor dos Livros “Corredor de Rua”,”Aprendendo a Correr” e “Manual do Corredor”. Articulista e comentarista de Atletismo.

One thought on “TREINOS EM PISTA

  1. Carlos, perfeito texto e comentários sobre as planilhas de revistas. Sempre que solicitado comento sobre isso, pois ali pessoas de 20 a 70 anos estão lendo a planilha e muitas vezes não tem condições de saber adaptar e julgar se aquilo é de fato próprio para ela e em que fase encarar aqueles treinos….PARABENS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s